Os estágios do brincar e sua importância no desenvolvimento infantil

Os estágios do brincar, segundo Winnicott


Primeiro Estágio:

Bebê e objeto são fundidos um no outro. A visão que o bebê tem do objeto é subjetiva e a mãe se orienta no sentido de tornar concreto aquilo que o bebê está pronto a encontrar.


Segundo Estágio:

O objeto é repudiado como não-eu, aceito de novo e objetivamente percebido. Esse processo complexo é altamente dependente da mãe (ou cuidador) preparada(o) para participar e devolver o que é abandonado. A mãe (ou o cuidador) oscila entre ser o que o bebê tem capacidade de encontrar e ser ela (ele) própria(o), aguardando ser encontrada(o). Quando a mãe (ou o cuidador) tem uma relação de sintonia inicial com o bebê, estabelece-se um ambiente de confiança e o bebê brincacom a realidade.


Terceiro Estágio:

O bebê experimenta ficar sozinho, na presença de alguém. A criança está brincando agora com base na suposição de que a pessoa a quem ama está lá, disponível, sustentando o brincar. A mãe (ou o cuidador) é esquecida(o), mas quando lembrada(0), é como alguém que merece confiança e pode ser facilmente acessada. Essa pessoa é sentida como se refletisse de volta do que acontece no brincar.


Quarto Estágio:

Neste último estágio, o bebê desfruta de uma área de superposição de duas áreas do brincar: não só o bebê brinca e é observado, a mãe (ou o cuidador) brinca com o bebê também. No começo, age de modo a não romper o dinamismo da brincadeira infantil. Depois, a mãe (ou o cuidador) introduz o seu brincar e descobre como é variável a capacidade dos bebês de aceitar ou não a introdução de idéias que não lhes são próprias. Dessa maneira, está preparado o caminho para um brincar conjunto num relacionamento.


A Importância do Brincar

Diferentes áreas da ciência têm alinhado cada vez mais seus campos de estudo e demonstrado a relevância dos jogos e atividades da infância. “Faz décadas que as ciências sociais estudam a representatividade das brincadeiras dentro do contexto social de diversas culturas.

Recentemente, o avanço da tecnologia e neurociência permitiram entender alguns dos processos que nosso cérebro estabelece quando brincamos. O que reforça a importância desse ato como condição essencial para a evolução qualitativa de nossa espécie”, diz a antropóloga e professora da Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Regina Tavares, autora do livro “Brinquedos e Brincadeiras”.


Fontes:

WINNICOTT, Donald W;. O brincar e a realidade. Trad. José Octavio de Aguiar Abreu e Vanede Nobre. Rio de Janeiro: Imago, 1975. 203p.Título Original: Playing and Reality.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. SBP,2019. Pediatras destacam a importância das brincadeiras para o desenvolvimento infantil. Disponível em: https://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/pediatras-destacam-a-importancia-das-brincadeiras-para-o-desenvolvimento-infantiL. Acesso em: 08 de Julho de 2019.


#KidCoachPaulaGuedes #KidsCoaching #CoachingKids #CoachingParaFamilia