Cuidados com a Pele do Bebê

A rigor, a estrutura da pele da criança não difere muito da do adulto, mas funcionalmente a diferença é substancial e envolve permeabilidade, reatividade, transpiração e fotossensibilidade. Enquanto a pele da criança permanece intacta, suas potenciais desvantagens quase não são notadas, mas quando lesada, os problemas aparecem com nitidez. 


Desse modo, a meta é manter a integridade da barreira epidérmica, que inclui evitar condições ambientais desfavoráveis:

  • contato e absorção de irritantes;

  • fricção;

  • desidratação; e

  • queimadura de sol.

Características da pele do recém-nascido


A pele do RN é mais fina do que a do adulto. Todas as camadas da pele do RN (epiderme, derme e hipoderme) têm espessura diminuída. Estas características são mais acentuadas nos prematuros.


A epiderme do RN é fina, imatura e descama com facilidade nas 3 primeiras semanas de vida. As células estão menos coesas entre si e podem desprender-se com maior facilidade.



O Coto Umbilical


O recomendado como cuidado do coto umbilical é fazer higiene com substância bacteriostática, objetivando diminuir a colonização por germes patogênicos e, consequentemente, por infecção neonatal.



Área das fraldas


A região da fralda está exposta a muitos fatores irritantes e, portanto, é importante tentar manter a pele a mais seca possível e com um pH ácido normal. É essencial manter a limpeza contínua e adequada da pele. Devem ser tomadas medidas preventivas necessárias para evitar o contato com irritantes primários e alérgicos, fazer uso adequado das fraldas e dos produtos protetores da pele.


A pele dos lactentes na região da fralda merece uma atenção especial já que se encontra exposta a múltiplos fatores que podem alterar sua integridade, além de ser mais predisposta que a do adulto para desenvolver certas doenças, tais como a dermatite atópica e a dermatite de contato.


Existem múltiplos fatores que podem alterar a integridade da pele na região da fralda, causando inflamação e predispondo ao desenvolvimento de infecções secundárias. A dermatite de contato na região da fralda é a patologia mais frequente do bebê pela exposição permanente a fezes e urina.


Proteção: a proteção na região da fralda inclui diversos aspectos de higiene, tais como o uso de fraldas, de pastas, cremes e diversos produtos de acordo com a necessidade individual de cada lactente.


Fraldas: As fraldas podem ser descartáveis e não-descartáveis. Durante os primeiros meses, a troca de fraldas deve ser feita entre oito e dez vezes ao dia e, na medida em que o lactente cresce, diminui-se a frequência das trocas de fralda.


Produtos de limpeza: o objetivo é manter a pele limpa e seca, removendo os contaminantes, mantendo um pH ácido e depositando ingredientes ativos. Têm sido utilizado para limpeza a água, sabão ou syndets (sem perfume ou fragrância), lenços umedecidos descartáveis e as esponjas. Sendo a água o principal elemento de limpeza, discutiu-se sua incapacidade para remover substâncias lipofílicas e manter um pH normal, razões pelas quais se utilizam substâncias e produtos complementares de limpeza.


Os lenços umedecidos descartáveis têm substituído o uso da água e o sabão na limpeza da pele dos lactentes. Contêm uma emulsão aquosa e uma loção oleosa. Algumas também contêm emolientes, surfactantes, aditivos e fragrâncias.


É importante levar em consideração que, para as crianças com predisposição a desenvolver dermatite de contato ou atópicos, é preferível a limpeza sem adicionar químicos. As esponjas podem irritar a pele. Vale notar que os lenços umedecidos descartáveis não substituem o banho e só devem ser usados na impossibilidade deste.


Uso de cremes de barreira: é cada vez mais frequente o uso de produtos com substâncias ativas para proteger a pele contra a irritação e a presença de infecções. Tais cremes e preparações contêm óleo em água ou água em óleo, muitas delas com óxido de zinco como reparador cutâneo. Algumas também contêm camomila ou macela, aloe, diferentes dimeticonas ou dexpanthenol como anti-inflamatório e com poder de proteção. Os cremes de petrolato também têm sido muito úteis. Devem ser evitados todos os tipos de antissépticos.



Fonte: I Painel Latino Americano: Cuidados com a Pele Infantil. Sociedade Brasileira de Pediatria, 2012. Disponível em: https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/pdfs/painel-JJ-Fasciculo-1.pdf / https://www.sbp.com.br/fil